Marcela Temer estréia hoje, dia 4, na Assistência Social: uma ponte para o passado.

A primeira-dama (ilegítima) Marcela Temer, esposa do presidente golpista,  estréia como “embaixadora” do projeto Criança Feliz, idealizado pelo  ministro golpista Osmar Terra, nesta quarta feira, dia 4. Foi o jeito que eles arranjaram de colocar a primeira-dama na cena como gestora, sendo sem ser, com o título de “embaixadora”. 

marcelaHoje, dia 4 de outubro, está previsto um discurso de Marcela,no Salão Nobre do Palácio do Planalto, que esclarecerá que sua atuação será pautada pela  sua experiência como mãe, que sabe da importância do acompanhamento dos pais ou cuidadores no desenvolvimento dos bebês e crianças.

O governo golpista incorpora uma marca retrógrada superada nos governos Lula e Dilma e recolocam a primeira-dama na ‘área social’ onde ela, segundo o próprio marido em entrevistas, ‘trabalhará intensamente’. Segundo notícias, a dama assumirá seu primeiro desafio no governo atuando neste programa social porque é mãe e, assim, tem todos os predicados para ajudar nesta área. (?????)

O governo está estruturando uma equipe de assessores que trabalhará com a dama em um programa-trator Criança Feliz,  proposto pelo ministro Terra, do MDS(A), que desconheceu, de uma só vez, a política de Assistência Social, o SUAS, os serviços e programas existentes, a Comissão Intergestores Tripartite, – CIT e o CNAS. De fato, este governo, fruto de um golpe e que gera este Estado de exceção atual no país, é uma ponte para o passado também na assistência social, com programa montados em gabinetes,  de cima pra baixo, bem aos moldes de gestores anti-democráticos, como na década de 90, na ditadura e anteriores.

O programa Criança Feliz começará a ser implantado em dez cidades, como projeto-piloto e para o ano que vem está previsto um orçamento de R$ 300 milhões. Este valor poderá chegar a até R$ 800 milhões. (????)

O Ministro, representante do golpe, atuará de novo em parceria com uma primeira-dama, depois de mais de 20 anos. Ele foi secretário-nacional do Comunidade Solidária, criado por dona Ruth Cardoso, mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, onde também atuava a Secretária golpista da SNAS-MDS(A). O programa tucano, atuava em parceria com a iniciativa privada no combate à exclusão social e à pobreza, e deixou um triste legado de esquecimento e inexpressividade diante das demandas sociais do país.

Começa pra valer a ponte para o passado no campo da proteção social, palco de conquistas tão importantes para a população brasileira, construído de forma coletiva e democrática. Só nos resta lutar, lutar e lutar, com garra e estratégia, na resistência à este passado que insiste em virar presente.

Esperamos que o Colegiado de Gestores Municipais de Assistência Social, CONGEMAS, o Fórum Nacional de Secretários Estaduais de Assistência Social, FONSEAS e o Conselho Nacional de Assistência, CNAS, demonstrem a indignação nacional, boicotem esta solenidade, reajam contra esta gestão que tratora, literalmente, a democracia e desrespeita as instâncias de pactuação (CIT) e participação social (CNAS).

Viva o SUAS! Xô retrocesso!  

#foragolpista #foramarcela #reagecit #reagecnas

Anúncios